terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Notícias: Moedas comemorativas serão lançadas em junho - 22/02/2008


Moedas comemorativas serão lançadas em junho


SÃO PAULO, 22 de fevereiro de 2008 - O Banco Central (BC) vai lançar moedas comemorativas ao bicentenário da chegada da Corte portuguesa ao Brasil e ao centenário do início da imigração japonesa ao País. A tiragem inicial será de 2 mil exemplares para cada moeda, podendo chegar a 10 mil. A moeda comemorativa à chegada da Corte terá valor de face de R$ 5 e será confeccionada em prata. A moeda alusiva à imigração japonesa terá valor de face de R$ 2 e será cunhada em cuproníquel.

De acordo com o BC, o lançamento das moedas, aprovado pelo Conselho Monetário Nacional, ocorrerá em junho. A moeda comemorativa do bicentenário da chegada da corte portuguesa ao Brasil será lançada no dia 13 de junho, no Rio de Janeiro, e a do centenário da imigração japonesa no dia 18 de junho, em São Paulo.

"As emissões fazem parte do programa de moedas comemorativas do BC, cujo principal objetivo é difundir a história e a identidade nacional e afirmar a imagem do Brasil, consolidando seu padrão monetário no País e no exterior", informou o BC em nota.

A família real chegou no Rio de Janeiro no dia 7 de março de 1808. O príncipe regente d. João e a Família Real portuguesa deixaram para trás uma Europa conturbada pelas guerras napoleônicas. O BC lembra que a presença da corte portuguesa desencadeou mudanças como a abertura dos portos brasileiros às nações amigas, a transformação arquitetônica e urbanística da cidade do Rio de Janeiro; e o desenvolvimento cultural e artístico representado pela criação de bibliotecas e museus.

A moeda registra o evento simbólico do desembarque da Família Real no Rio de Janeiro, na atual Praça XV, e presta homenagem a cinco instituições fundadas por D. João: a Justiça Militar da União (criada como "Conselho Supremo Militar e de Justiça"); o Jardim Botânico do Rio de Janeiro ("Jardim da Aclimação"); a Imprensa Nacional ("Impressão Régia"); o Ministério da Fazenda ("Erário Régio"); e o Banco do Brasil.

Nenhum comentário: