sábado, 28 de novembro de 2009

Trata-se de uma música da campanha monarquista do plebiscito de 1993. Infelizmente não conheço o nome do autor da letra e de seus intérpretes.

Clique abaixo para ouvir:


Download


Fonte: Blog Sou Sonservador Sim, e daí?
Download

(Veja, no final, como colocar essa música em seu blog)

Por decreto-lei sou repubricano,
pois quem decretô foi o Floriano.
Voto obrigado uma vez por ano,
capricho nos voto, faço meus prano,
mas no fim das conta entro pelo cano, oiá.

Cada vez que eu voto, voto deferente,
é prá vereador, é prá presidente,
voto num pilantra muito eloqüente
ou num carcareco que me mostra os dentes,
só não abro mão do voto consciente. (Oh! Eleição danada!)

O meu candidato topa desafio,
que promete ponte onde não tem rio,
que promete escola pra educá meus filho
e enchê meus borço que nasceu vazio,
mas depois de eleito fica no macio. (Candidato bão sô!)

O meu candidato é muito preparado,
corre atrás de voto que nem cão danado.
Já foi bem vermeio tá esverdiado.
Sabe despistar o que fáiz de errado.
Mas teu amor de pai é prá todo lado, oiá.

Candidato gosta é de cambalacho,
ele lá em cima, nóis aqui embaixo.
Prá ganhá os voto banca o cabra macho,
mas deixa o povão com cara de tacho.
Quero gente boa, mas eu nunca acho, oiá.

Pago muito imposto e quero melhoria,
nunca tenho vez e sempre entro em fria.
Acabô a verba, a caixa tá vazia,
vai sobrar de monte pro trem da alegria.
E quem sai ganhando é mesmo a quadrilha. (hahá! verba marvada!)

Sobe o candidato e pára o que o outro fez.
Inaugura obra três ou quatro vez,
o preço de uma dá prá mais de três,
vou votar de novo porque sou freguês.
Mas se eu pudesse punha no xadrez, oiá.

Essa tar repúbrica não me tapeia,
enche tanta a cara que já cambaleia.
Anda capengando que nem vaca véia
toda remendada e cada vez mais feia,
Depois de terminar não há quem remedeia. (Aí, republica danada sô!)

Acaba com a repúbrica triunfalista,
Foi nova repubrica, foi getulista,
repubrica veia parlamentarista,
era Brasil novo e já baixou a crista.
Mas o que resorve é ser monarquista!

***

Para colocar o áudio em seu blog, copie e cole o seguinte código HTML:


sábado, 21 de novembro de 2009

O custo da "democracia real" brasileira

Artigo publicado na "Folha do Sudoeste" e encontrado em forum monarquista do yahoo. Uma leitura que vale a pena pelas excelentes informações coletadas.

O custo da "democracia real" brasileira

Itamar Cordeiro

Eu ainda sonho - embora esteja convicto de que não passará de utopia - com a volta da monarquia ao regime político no Brasil. Não é megalomania, muito menos hipocrisia; pelo contrário, é lucidez mesmo. É clarividência de quem, embora não seja um ancião, já tenha vivido o bastante para ver e avaliar que o sistema presidencialista, que a democracia, até que me prove em contrário, é apenas engodo; é na verdade, autoritarismo, é farra no poder.
Não. Não estou sendo leviano tampouco extremista, pessimista, muito menos, partidarista - nem filiado a partido político eu sou; meu partido é a moral, a ética, a coerência, o trabalho honesto e árduo, porém, dignificante - mas, fazendo alguns estudos, pesquisas e sobretudo algumas análises para auxiliar a um amigo acadêmico de direito, com um trabalho universitário (aliás, sou bacharel em direito, vê se pode?) me deparei com dados que me deixaram senão intrigado, impotente diante do sistema da "autoritariocracia" que o belo e constitucional sistema político brasileiro (no papel) nos impõe a todos nós, meros súditos - na concepção real do termo -, vassalos de um governo (me refiro aos seus três poderes) que esbanja e faz jus ao verso sábio do nosso majestoso Hino Nacional quando diz: "...deitado em berço esplêndido..."; neste caso, "deitados", por que são tantos...

Com minha singela análise, cheguei à drástica conclusão de que é mais barato manter a família real britânica do que nosso presidente operário. Ele, que recentemente, quando da reunião, em Londres, do G-20 (as 20 maiores potências do mundo - e nós, ironicamente, no meio deles... só se for "maior" em extensão territorial, porque em desenvolvimento e avanço cultural...), bem, o nosso modesto presidente, enquanto Barack Obama, atualmente Nobel da Paz, optou por hospedagem em "solo pátrio", neste caso, a embaixada norte-americana, o presidente brasileiro julgou indignas as acomodações da nossa embaixada instalada em um castelo histórico de construção do século XVIII, onde até a rainha Mary costumava se hospedar, junto com sua família, escolhendo um hotel de luxo com diárias de 7,5 mil euros, equivalentes a R$ 20 mil - enquanto isto, prefeitos brasileiros estão com pires nas mãos "mendigando" míseros repasses de FPM para conseguir gerir suas administrações. Eu preferiria ter que manter a realeza britânica do que a "aristocracia tupiniquim" da "família irreal" brasileira.

Diante desse fato, me interessei por uma pesquisa um pouco mais direcionada e específica - nada muito complicado, como cruzar dados e números no site "Transparência Brasil" com outros de estatísticas do próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e algumas outras fontes particulares... espantoso, o resultado - ou, os resultados obtidos!

As despesas com o gabinete da presidência da República, desde 1995 - primeiro governo FHC - que eram de cerca de R$ 38,4 milhões, pularam para (pasmem) R$ 372,8 milhões em 2004, quando do "primeiro reinado" do atual governo. Nem precisa ser economista ou versado em exatas para concluir que o custo diário da "corte" do "humilde operário apedeuta" chega a R$ 1,5 milhão. Sem contar que, se voltar um pouco atrás, quando do governo do "homem do topete", o número de funcionários regulares do Palácio do Planalto era de 1,8 mil, caindo para 1,1 mil na era FHC e saltando para 3,3 mil desde o início da "dinastia lulista". Sem contar que no Palácio da Alvorada - residência oficial (uma delas) do presidente da República, a informação é de que atualmente são em torno de 75 servidores permanentes - e somente para assistir (na real concepção do vocábulo) o presidente, o número de assessores especiais diretos vai de 27 a 55 pessoas... Como diria meu colega Boris Casoy: "Isto é uma vergonha!"

Diante de "peculiar situação", cruzei um pouco mais de informações chegando à vertiginosa constatação de que o custo de manutenção das chefias de Estado das maiores potências do mundo, como os Estados Unidos da América, que são regime de república, não ultrapassa a US$ 4,6 per capita (o equivalente a US$ 1.100 bilhão); na mais tradicional monarquia do planeta, os ingleses gastam com o governo britânico US$ 1,87 per capita (US$ 104 milhões)... Enquanto isto, na "República Sindical Brasileira", o custo do "império aristocrata" é de US$ 12 per capta, o equivalente a uma fortuna de US$ 1.700 bilhão!!!... É, manter a família real britânica é muito mais em conta.

Itamar Cordeiro é jornalista, cerimonialista e colunista político da FOLHA DO SUDOESTE

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Organizando Ações Monarquistas em 2010

A ação monárquica manifesta-se em diversos setores da opinião pública nacional, seja nas atividades dos Principes da Casa Imperial do Brasil ou de organizações monárquicas, seja em movimentos populares diversos. Muitos monarquistas encontram dificuldades para manifestar sua opção pela monarquia como forma de governo, alguns não tem argumentos, outros não encontram oportunidade de reunir-se com pessoas cujo pensamento é semelhante. O Blog Monarquia em Ação propõe um cadastro de eventos, manifestações, encontros para o ano de 2010. O Formulário ao lado é facilmente preenchido e nos permitirá mostrar o mapa do que acontecerá no próximo ano em matéria de ação monárquica.
Organizar um evento não é simples, e muitos encontram dificuldades. O Monarquia em Ação se propõe a ajudar com orientações, informações e contatos para que você possa organizar em sua cidade, empresa ou comunidade um evento monarquista.
Preencha o formulário e apareça na Agenda Monarquia em Ação de 2010

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Encontro Monárquico em Taubaté

Encontro com a presença de D. Bertrand de Orleans e Bragança, bisneto da Princesa Isabel.
Evento particular, acesse o blog indicado para efetuar sua inscrição.
Domingo, 06 de dezembro de 2009
Abertura 15h00
Gávea Hotel – Taubaté
Av. Juscelino Kubitschek de Oliveira, 380
Dutra saída km 111 – Taubaté
Inscrições e contato:
E-mail: monarquiavale@gmail.com
Site: www.monarquiavale.blogspot.com

PROGRAMA
14h30 Recepção e credenciamento

15h00
Os 200 Anos da Família Real no Brasil
Prof. Geraldo Winter
Sócio da Winter Consultores e editor do boletim Herdeiros do Porvir

- Intervalo para café

15h40

Titulares do Império na cultura valeparaibana e gastronomia regional.
Prof. Ocílio Ferraz
Sociólogo, membro da Academia Brasileira de Gastronomia

16h40 Coffee-break

17h10
Ação Monarquista no Brasil
Dr. José Guilherme Beccari
Advogado e presidente do Pró Monarquia

18h00
Geopolítica brasileira
Sr. José Carlos Sepúlveda da Fonseca
Pesquisador e editor do Radar da Mídia

19h00 Encerramento feito por D. Bertrand de Orleans e Bragança

20h00 Jantar de confraternização



Exposição: O Brasil Império pelo olhar francês

Museu Imperial: Exposição retrata o Brasil-Império pelo olhar francês Horário: 10 novembro 2009 às 9:00 a 28 fevereiro 2010 às 16:00
Local: MUSEU IMPERIAL - Rua da Imperatriz, 220, Centro, Petrópolis-RJ
Organizado por: Cláudio Silva Menezes

Descrição do evento:
Museu Imperial: Exposição retrata o Brasil-Império pelo olhar francês
Como parte das comemorações pelo Ano da França no Brasil, o Museu Imperial apresenta, até fevereiro de 2010, a exposição Retratos no estrangeiro: o Brasil Imperial nos ateliês franceses. A mostra, com curadoria das pesquisadoras Maria de Fátima Moraes Argon e Maria Inez Turazzi, reúne imagens assinadas por pintores, gravadores, litógrafos e fotógrafos franceses do século 19.

Entre os destaques da exposição encontram-se retratos de d. Pedro II e da família imperial, exibidos pela primeira vez ao público. São obras de Édouard Vienot, artista que se anunciava em Paris como pintor do imperador do Brasil e também alguns dos primeiros daguerreótipos (fotografias sobre metal) realizados no Brasil.

O museu encontra-se na Rua da Imperatriz, 220, Centro, Petrópolis-RJ. Informações: www.museuimperial.gov.br.

Fonte: IBRAM Boletim eletrônico nº 278 - ano 6 - 29/10/2009

domingo, 1 de novembro de 2009

"Príncipes do Brasil" de Michelly Ribeiro

Uma jovem que está concluindo seu curso de jornalismo na FATEA - Faculdades Integradas Tereza D´avila decidiu, apos ouvir os orientadores, que seu trabalho de conclusão de curso teria como assunto o que depois se transformou no título de um livro que promete muito: "Príncipes do Brasil". A jovem é Michelly Ribeiro e a encontrei (ou fui encontrado por ela, não lembro exatamente) no Twitter mini-blog de informações e notícias diversas. Passei a seguí-la pelo Twitter onde descobri o seu blog http://brasilimperiohoje.wordpress.com/ no qual a jovem jornalista relata os trabalhos e dificuldades para conclusão do seu livro. Abaixo estampo a entrevista e a defesa do TCC publicadas em seu blog.